Reunião de pais 2019 - Educação infantil

É preciso permitir que a criança se envolva no diálogo.

     Segundo a professora Meredith Rowe, ter “boas conversas” desde os primeiros meses de vida é fundamental para o desenvolvimento do cérebro infantil e tem impacto importante no futuro dos pequenos. O resultado da pesquisa revelou que a área do cérebro responsável pelo processo da linguagem era mais ativa naqueles que haviam experimentado diálogos mais significativos (quando bebês). As conversas ajudaram a moldar o desenvolvimento do cérebro infantil.

     Suas conclusões unem-se a outros estudos que, desde 1990, apontam que crianças que escutem mais palavras dirigidas a elas, nos primeiros anos de vida, têm maior facilidade na alfabetização e melhor desempenho escolar.

     A conversa muda a forma como o cérebro infantil processa a linguagem e traz vantagens no desenvolvimento cognitivo. Crianças que falam sobre o que pretendem fazer no dia seguinte, desenvolvem habilidades de planejamento. Ao falar sobre o que fizeram no dia anterior, estimulam a memória, por exemplo.

     Na fase até os seis anos, o cérebro tem maior plasticidade neuronal, ele se adapta, muda e se desenvolve mais rapidamente. Mererdith destaca que é fundamental desafiá-las ao diálogo, de acordo com cada idade.

Meredith Rowe
Pesquisadora de Harvard