Alimentação saudável

Entrevista com a nutricionista da Tre-Le-Lê/Educarte, Jéssica Freitas.

Qual a importância de uma alimentação saudável para as crianças?

            A alimentação saudável é o primeiro passo para obtermos qualidade de vida, pois fornece nutrientes essenciais para manutenção dos sistemas corpóreos. Uma alimentação saudável também constrói na criança maior resistência imunológica, maior capacidade e desempenho físico, melhorando a disposição e tornando menos suscetível a doenças, como: obesidade, câncer, artrite, anemia, diabetes e hipertensão.

É importante observarmos que, para que todos os benefícios aconteçam, a alimentação precisa ser balanceada, garantindo a quantidade de nutrientes necessários para uma vida saudável. Uma dieta balanceada e a prática de atividades físicas resultarão em uma vida longa e com qualidade.

É importante a construção de hábitos alimentares saudáveis desde a infância?

            A construção dos hábitos tem início na introdução alimentar da criança, nos primeiros seis meses de vida. As maiores influências são os pais e os hábitos da casa: a criança tende a aceitar o que vê as pessoas ao seu redor consumindo. Na fase adulta, irá preferencialmente consumir o que conhece da infância. 

A Escola tem participação ativa no processo de construção de hábitos alimentares saudáveis, tendo em vista que a maior parte das refeições de crianças – principalmente as de horário integral – são ofertadas na Escola. No ambiente escolar, a criança observa outros alunos de sua faixa etária consumindo os mesmos alimentos que ela: a troca e a socialização são ótimos incentivos para uma alimentação saudável.  

Como a Tre-Le-Lê/Educarte podem ajudar nisso?

            Oferecemos um cardápio saudável, uma alimentação adequada e um ambiente ideal para a construção de bons hábitos alimentares. Existe todo um trabalho, não só da equipe de nutrição, mas também pedagógico sobre a importância desses alimentos. Os professores ensinam sobre os alimentos saudáveis em sala de aula, despertando a curiosidade do aluno e a vontade de experimentar, até que estes alimentos tornam-se parte da rotina alimentar dos alunos.  Todos participam juntos do processo de introdução alimentar, sem que haja rejeições ou seletividade no grupo. 

Como são elaborados os cardápios?

            Os cardápios são elaborados de acordo com as normas do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que regulamenta a alimentação escolar. São livres de alimentos processados, com teores elevados de gordura ou açúcar, enlatados, fritos, priorizando agricultura familiar, regional e alimentos sazonais, por conterem menores quantidades de agrotóxicos em sua maturação. Nossos cardápios são mensais e oferecem entre quatro e cinco refeições ao dia: lanche da manhã, almoço, mamadeira – para berçários, lanche da tarde e jantar. Priorizamos o comércio local para a panificação e frutas da época. Os sucos preferencialmente são da fruta e duas vezes na semana temos o lanche com suco e dois tipos de frutas, sem a presença de pães ou laticínios. 

Por que a política da Escola em não ter cantinas?

            As cantinas, ainda que saudáveis, favoreceriam a presença de diferentes alimentos no convívio escolar, prejudicando nossa ideia de introdução saudável e igualitária de alimentos. Outros pontos negativos são o ganho de peso, influência no rendimento escolar e o fato de que nem todos os alunos possuem condições financeiras de comprar alimentos diariamente em cantinas.

Observamos também que a maioria das cantinas não seguem as normas do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e ofertam alimentos com gordura saturada, sanduíches com maionese e salgados assados com gordura hidrogenada em sua composição – nenhum desses alimentos são saudáveis. Considerando os aspectos citados, temos o Setor de Nutrição constantemente preocupado em garantir alimentação saudável para alunos e profissionais.